PUBLICIDADE
Topo

Foco na extinção de barreiras

ECOA

06/03/2020 04h00

No final de fevereiro, tive a oportunidade de comparecer à conferência anual do Zero Project. Trata-se de uma plataforma global voltada a soluções inovadoras e eficientes para as barreiras enfrentadas por pessoas com deficiência. Sua missão é colaborar com a implementação da Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, criada em 2006 pela ONU e atualmente considerada a principal referência sobre esse tema no mundo. 

Durante a conferência, que tinha como tema educação, foram apresentadas 75 práticas e 11 políticas inovadoras, provenientes de 54 países. Conheci projetos muito consistentes, desenvolvidos em locais com realidades bastante contrastantes. Na Namíbia, por exemplo, o Ministério da Educação criou a política setorial de educação inclusiva para garantir que toda criança aprenda e participe integralmente do sistema educacional. Ela é obrigatória a todos os órgãos do governo e instituições de educação, da pré-escola ao ensino médio, e foi criada após conversas com familiares, líderes comunitários, professores, ONGs e pessoas com deficiência. Dentre as prioridades da política, estão: formação de professores e o apoio de professores auxiliares nas salas de aula para facilitar a inclusão.

Na Jordânia, crianças de diferentes religiões aprendem juntas, desde a infância até os 16 anos de idade, na Arab Epischopal School, a segunda escola no país a trabalhar com estudantes videntes, com baixa visão e cegos de forma integrada. A escola oferece métodos de suporte e recursos acessíveis para seus estudantes. Além do currículo regular, a escola promove respeito e tolerância religiosa e étnica. 

Durante a conferência, tive a honra de apresentar dois projetos desenvolvidos pelo Instituto Rodrigo Mendes. Em primeiro lugar, o portal Diversa, que é uma plataforma colaborativa sobre boas práticas de educação inclusiva acessada por professores de todo o mundo e apoiada por um grupo de organizações como ABADHS, Fundação Lemann, Fundação Volkswagen e Instituto Península. Em segundo lugar, o programa de formação sobre educação física inclusiva Portas Abertas para a Inclusão, criado conjuntamente com o Unicef e a Fundação FC Barcelona. Esse programa conta com uma versão EAD que pode ser gratuitamente acessada por qualquer pessoa interessada em aprofundar seu conhecimento sobre educação inclusiva e já recebeu mais de 50 mil participantes de todos os estados do Brasil. 

O Zero Project é uma iniciativa da Fundação Essl, instituição fundada em 2007 pelo empresário austríaco Martin Essl e sua esposa Gerda, que tem como foco projetos sociais e pesquisa científica, notadamente no campo das pessoas com deficiência. Atualmente, sua atuação se estende também ao que chamam de demais grupos em desvantagem: idosos, crianças, migrantes e outros. Em junho, será realizada no Chile a primeira edição da conferência Zero Project na América Latina, também com o tema educação. O evento está sendo promovido em parceria com a Fundación Descubreme e será uma ótima oportunidade para quem quer conhecer práticas consistentes de inclusão escolar nessa região do planeta.

Sobre o Autor

Rodrigo Hübner Mendes tem dedicado sua vida para garantir que toda pessoa com deficiência tenha acesso à educação de qualidade na escola comum. É mestre em administração pela Fundação Getúlio Vargas (EAESP), membro do Young Global Leaders (Fórum Econômico Mundial) e Empreendedor Social Ashoka. Atualmente, dirige o Instituto Rodrigo Mendes, organização sem fins lucrativos que desenvolve programas de pesquisa e formação continuada sobre educação inclusiva em diversos países.

Sobre o Blog

A garantia do direito à educação para todos é o ponto de partida para reflexões sobre equidade, diversidade humana e construção de uma sociedade inclusiva.

Rodrigo Hübner Mendes